A doença dos pezinhos em Portugal: o que precisa saber

Este artigo visa esclarecer como identificar a doença, quem procurar em caso de suspeita e explorar as opções de tratamento disponíveis.
A doença dos pezinhos em Portugal: o que precisa saber

A doença dos pezinhos, também conhecida como Paramiloidose ou Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF), é uma condição genética rara com uma incidência notoriamente alta em Portugal. Este transtorno hereditário afeta o sistema nervoso periférico e, se não diagnosticado e tratado a tempo, pode levar a sérias complicações.

Identificação da doença dos pezinhos

A manifestação inicial da doença dos pezinhos é frequentemente caracterizada por sintomas neurológicos. Parestesia (formigueiro) nos pés e mãos (habitualmente começa nos membros inferiores, daí o nome “pezinhos”), dificuldades de mobilidade, perda de sensibilidade, e em estádios mais avançados, problemas digestivos e cardíacos são alguns deles. A idade habitual em que os sintomas começam a manifestar-se varia, mas geralmente ocorre na idade adulta, entre os 25 e os 35 anos. Pode começar mais cedo ou mais tarde.

O conhecimento de casos familiares da doença é crucial, dado o seu caráter hereditário. Famílias com histórico da doença devem estar particularmente atentas aos sintomas iniciais e procurar orientação médica.

Ajuda Médica

Perante sintomas ou conhecimento de histórico familiar da doença, é essencial procurar um médico de família. Este profissional pode fazer uma avaliação inicial e, se considerar necessário, encaminhar para outra especialidade, como um neurologista ou geneticista, que estão melhor equipados para realizar diagnósticos precisos, incluindo testes genéticos que confirmam a presença da Doença dos Pezinhos.

Opções de Tratamento

O tratamento para a Doença dos Pezinhos avançou consideravelmente, incluindo opções farmacológicas como o Tafamidis. Este ajuda a estabilizar a proteína transtirretina e reduz a formação de amiloides. Embora o Tafamidis seja uma opção de tratamento válida, é apenas uma parte de um espectro mais amplo de intervenções disponíveis.

O transplante hepático é outra opção de tratamento significativa. É especialmente relevante dado que o fígado é o principal órgão produtor da proteína transtirretina mutante responsável pela doença. O transplante hepático pode ser considerado em casos avançados, oferecendo uma nova esperança e melhorando significativamente a qualidade de vida dos doentes embora que ainda com uma mortalidade associada ao procedimento.

A Doença dos Pezinhos representa um desafio médico, especialmente em Portugal, onde a prevalência é mais alta. O reconhecimento precoce dos sintomas, o conhecimento do histórico familiar e o acesso a opções de tratamento adequadas são fundamentais para o controlo eficaz da doença. Por fim, se você suspeita da doença, seja por sintomas ou história familiar, aconselhamo-lo a procurar orientação médica.

Partilhar